Uma vida com menos impacto

Oi pessoal, tudo bem?

Confira 60 ideias Weasy pra uma vida mais verde na sua alimentação, vestuário, cuidando da casa, da beleza ou de um pet

Para passar as dicas para redução do nosso impacto no meio ambiente vamos sempre pensar em dois critérios: de onde veio pra onde vai. Ou seja, quais os materiais que usa, mão de obra, onde foi comprado, produzido, se precisou ser muito transportado e até se precisava ser comprado ou não. E depois, durante e após o uso inicial, o que pode ser feito com ele? Será que é lixo mesmo? São algumas dicas, bem abrangentes. Vamos lembrar que não precisamos de uma pessoa fazendo tudo perfeito, mas de milhões de pessoas tentando fazer melhor <3 Vamos juntos?

14 DICAS • ALIMENTAÇÃO

Foto de Anggit Rizkianto
Origem e consumo:
  1. Coma comida de verdade: frutas, verduras, tubérculos, leguminosas, hortaliças, cereais, etc. Evite ultraprocessados e “produtos alimentícios” que usam muitas embalagens e aditivos que prejudicam você e o meio ambiente.
  2. Prefira alimentos que estão na época (usam menos veneno e fertilizantes), se possível orgânicos. 
  3. Prefira alimentos locais (respeitando a biodiversidade desse grande Brasil), minimizando custos na sua casa e também adubo químico no solo.
  4. Prefira os alimentos artesanais ou de produtores locais aos industrializados e embalados (ex: pão da padaria da esquina, pão caseiro da vizinha). Você minimiza embalagens, incentiva a economia local, reduzi poluição por transporte rodoviário, etc.
  5. Considere reduzir o consumo de carnes e produtos de origem animal. O uso de água, terra e a contaminação no ar que a pecuária tem é um dos maiores da indústria. Por exemplo: 15.500 litros de água são necessários para produzir para 1kg de carne, 2.393 litros para fazer 1 hambúrguer – isso é mais do que você gasta tomando banho por 2 meses. A produção de 1 quilo de queijo demanda o gasto de 5.060 litros… já o mesmo peso de batata usa 290 litros. Você pode aderir a iniciativas como o Segunda Sem Carne ou mesmo reduzir a quantidade no dia a dia. 
  6. Quando comprar algum alimento processado, dê preferência a embalagens de papel ou papelão puro (que se biodegrada, se não for material composto como TetraPack), latinhas de alumínio a garrafas plásticas (alta taxa de reciclagem no Brasil), e embalagens já feitas com material reciclado
  7. Se for passar bastante tempo fora, considere a marmita e o lanche. Se não tiver tempo, apele para soluções práticas como frutas. Assim garante a qualidade do alimento, economia de dinheiro e de lixo.
  8. Saia de casa preparado, leve guardanapo e utensílios para evitar pegar os descartáveis. Carregue sempre sua garrafinha de água, e um copo, que serve não só para água/café/cerveja mas também para tomar um açaí, um sorvete ou batata frita. Se tiver o hábito de consumir coco verde ou outros líquidos pre precisam canudo, considere uma opção de metal, bambu ou vidro. Não precisa ser um kit caro comprado, pode ser o que você tem em casa mesmo, como copo promocional, canudo de copo infantil, talheres de casa, guardanapo de pano.
Descarte ou reuso:
  1. Quando alguma tiver comida demais, antes que estrague, higienize/prepare/porcione e congele
  2. Restos de comida ainda na panela podem ser reinventados na próxima refeição: o arroz que vira bolinho, o feijão que vira tutu, os legumes viram sopa, a lentilha vira hambúrguer vegetariano, o molho de tomate que vai num risotto depois, etc. 
  3. Não descarte cascas, talos, cascas, folhagens e miolos de legumes. Guarde em um pote no congelador e use para fazer caldos de legumes – muito saborosos e nutritivos. Folhas de beterrabas podem ser refogadas e de cenoura podem virar pesto. Cascas de frutas que não podem ser consumidas podem virar chás deliciosos
  4. Cascas de limões e laranjas podem ser raladas para sobremesas ou até temperos salgados como o lemonpepper. Ou em limpadores (como vamos ver nas dicas para a casa).
  5. Quando realmente precisar descartar resíduos orgânicos, considere a compostagem. Pode ser no quintal, em composteiras domésticas, no seu prédio ou até em iniciativas que recolhem o lixo orgânico que acontecem em algumas cidades.
  6. Procure reutilizar embalagens plásticas como potes e garrafas, seja na cozinha, para organizar pequenos objetos, ou plantar mudinhas.
Quer saber mais?

6 DICAS • VESTUÁRIO

Foto de S O C I A L . C U T

 

Origem e consumo:
  1. Pense muito bem antes de comprar. Resista à tentação de comprar por impulso, e depois se arrepender com peças que não ficam bem ou que não usa. Procure comprar peças que realmente precisa, compre somente quando realmente se identificar.
  2. Lembre que pode repetir look com diferentes acessórios, maquiagens e que vale reinventar misturas entre peças. Considere a lógica do guarda-roupa cápsula: peças muito versáteis, úteis, que você ama, e usa todas. Assim todas as roupinhas da sua casa serão felizes e usadas, você economiza dinheiro e impacto ambiental.
  3. Prefira marcas responsáveis (mão de obra), que façam peças com materiais e acabamentos de qualidade. Assim não vai precisar consertar ou descartar tão cedo.
Descarte ou reuso:
  1. Quando realmente enjoar de alguma peça considere trocar com uma amiga, vender em um brechó, fazer um bazar ou doar. 
  2. Lembre que roupa não é descartável (mesmo que o fast fashion faça a gente achar que sim). Quando estragar alguma peça, leve para o conserto, retoque a cor se desbotar, cuide com carinho das peças. A mesma coisa vale para calçados.
  3. Considere o upcicling: usar roupas antigas para criar peças novas. Uma camisa que vira saia,  um vestido que vira calça, e assim por diante. 
Quer saber mais?

14 DICAS • CASA E LIMPEZA

Foto de Brooke Lark
Origem e consumo:
  1. Compre aquilo que realmente precisa, e realmente gosta. Aquele quebra-galho ou compra por impulso é um peso na carteira e um potencial lixo.
  2. Evite o barato que sai caro – você paga preço em dinheiro e o planeta em poluição. Pesquisa, olhe, procure móveis, decorações, utilitários e utensílios de melhor qualidade, que terão maior durabilidade. 
  3. Substitua produtos descartáveis por duráveis: papel toalha e guardanapo de papel podem ser panos, por exemplo. Um paninho equivale a 7300 papeis toalha descartáveis.
  4. Guarde em potes ou com panos para evitar usar plástico filme
  5. Troque o filtro de café descartável (ou a cápsula) por filtro de pano, de plástico, por cafeteira italiana (direto no fogão) ou prensa francesa. Teste diferentes métodos, existem muitos que não geram lixo.
  6. Na pia, troque a bucha (que é de plástico) por esponja vegetal. São vendidas em feiras, super baratinhas, rendem muito, não riscam panelas nem vidros, e podem ser compostadas após o uso por serem de origem vegetal.
  7. Na limpeza, considere trocar limpadores com produtos químicos contaminantes por opções biodegradáveis. Muito caras? Você pode fazer seus limpadores caseiros com poucos ingredientes e pouco trabalho. Com bicarbonato de sódio, vinagre, álcool, sabão de coco e água você resolve praticamente tudo na casa. Se quiser um charme ainda use cascas de cítricos para maior poder desengordurante e ervinhas para cheiro fresco. 
  8. Quando sair, leve sempre sua ecobag dobradinha, pronta para carregar compras. Se for ao mercado, leve recipientes para compras a granel. Pode ser qualquer bolsa de pano e qualquer pote de plástico ou vidro, não se apegue a kits caros para compras.
Descarte ou reuso:
  1. Evite usar sacolas plásticas para descartar o lixo que irá ao aterro – procure usar materiais biodegradáveis como papel, caixas de papelão, ou algum bioplástico
  2. Repare no número de enxágues na sua máquina de lavar, podem ser muitos. Procure reutilizar a água das lavagens para limpeza de pátios, chãos, descargas de banheiros humanos ou dos bichos.
  3. Procure reutilizar embalagens plásticas como potes e garrafas, seja na cozinha, para organizar pequenos objetos, ou plantar mudinhas.
  4. Procure reparar, reinventar, repensar móveis e decorações quebradas ou desgastadas demais: xícaras trincadas viram potes de plantas, cadeiras com pernas quebradas podem ser reparadas, poltronas re-estofadas, objetos ressignificados para encontrar um novo estilo ou um novo propósito.
  5. Faça o descarte correto de lixos especiais como pilhas, baterias, eletrônicos, remédios. Grandes supermercados costumam ter postos de coleta, assim como grandes farmácias. Eletrônicos muitas vezes são recebidos pelo fabricante de volta em troca de desconto! Nunca descarte no lixo tradicional, pois contaminam água, terra, ar, pessoas e animais. 
  6. Cascas de limões e laranjas podem ser guardadas dentro do vinagre para fazer desinfetante perfumado, natural. 
  7. Corte todos os anéis de plástico (os que tem na borda de garrafas, por exemplo), rótulos, e outros lixos que podem machucar animais, antes de descartar.
  8. Quando precisar descartar resíduos orgânicos, considere a compostagem. Pode ser no quintal, em composteiras domésticas, no seu prédio ou até em iniciativas que recolhem o lixo orgânico que acontecem em algumas cidades. Vale para buchas vegetais, restos de vasos e plantas, pequenos papeis e papelões também.
Quer saber mais?

16 DICAS • HIGIENE E BELEZA

Foto de Lesly Juarez
Origem e consumo:
  1. Procure rever no seu banheiro quais produtos de fato usa e precisa, quais podem ser eliminados da lista de compras, ou substituídos por opções menos agressivas.
  2. Considere trocar sua escova de plástico, muito difícil de reciclar, por opções de bambu que contaminam muito menos (se possível, compre de um lugar que venda avulsa – sem embalagem plástica) e seu cotonete de plástico por um de haste de papel ou bambu. O mesmo vale para escovas e pentes de cabelo, que podem ser de madeira ou bambu preservando a saúde dos fios e do meio ambiente.
  3. Prefira sabonete em barra ao líquido, e com embalagem de papel ao invés de plástico. Se tiver a oportunidade, teste também o xampú sólido.
  4. Faça testes de beleza natural DIY. Alguns exemplos são as famosas máscaras de aveia e mel, frutas, os esfoliantes de açúcar, café, o óleo de coco no cabelo e na pele – como no tempo da vovó. Muito mais gostoso e ecológico.
  5. Procure conhecer a toalhinha demaquilante (muitas das grandes marcas vendem), e o disco demaquilante lavável (geralmente vendido por pequenos produtores). Assim você evita consumir algodão que é bastante poluente. 
  6. Troque a bucha plástica pela vegetal, muito mais econômica e totalmente ecológica
  7. Considere o barbeador de metal, não descartável, existem muitas opções seguras e práticas.
  8. Se ainda não for adepta, dê uma chance ao coletor menstrual. Se não curtir a ideia, teste os absorventes laváveis ou calcinhas absorventes – é garantia de sucesso, economia e ecologia.
  9. Considere a fralda lavável para os infantes. Calcule com a gente: um bebê troca de fralda a cada 2h. São cerca de 6 fraldas durante o dia e pelo menos 2 de noite. Mais de 2900 fraldas ao ano, por cerca de 2 a 3 anos. É muito (muito) lixo não reciclável, e muito dinheiro também.
  10. Pesquise alternativas para pomadas de assaduras. Muitos pediatras sugerem usar amido de milho para prevenir assaduras, assim você também evita as pomadas químicas e que fazem lixo não reciclável. O lencinho umedecido também pode ser substituído por água morna e um paninho de algodão – pode deixar uma garrafa térmica com água morna no trocador para facilitar.
  11. Pesquise bem as marcas que vai comprar produtos de higiene e beleza, e atenção para o greenwashing – essa empresa usa um monte de embalagem desnecessária? ela se preocupa com a poluição que gera? testa em animais? de onde vem a matéria prima que ela usa? Procure selos certificadores e olhe sempre o rótulo do produto, e se informe sobre as empresas. Procure notícias e reviews.
Descarte ou reuso:
  1. Nunca descarte o fio dental na privada, ele vai para o mar e machuca os animais marinhos. Tampouco descarte absorventes (externos ou internos) ou camisinhas na privada, além de entupir os encanamentos são muito poluentes. Use a privada para dejetos orgânicos, urina e fezes, somente.
  2. Sempre corte os fios dentais antes de descartar, para prevenir que animais se enrosquem e machuquem (ou engulam e se machuquem)
  3. Procure sempre devolver embalagens de perfumes, potes e bisnagas já usados (e lavados) em empresas que tenham logística reversa.
  4. Lave bem e descarte no reciclável qualquer embalagem plástica ou de vidro, assim como as de papel ou papelão.
  5. Composte as escovas de bambús e as buchas vegetais que usar no banho. 
    
Quer saber mais?

10 DICAS • PETS

Foto de Krista Mangulsone

 

Origem e consumo:
  1. Troque o tapete higiênico ou jornal por um banheiro inteligente Weasy Cão e economize pelo menos 48kg de lixo misto com plástico, não reciclável, ao ano (por cachorro). Se for jornal, economiza 28kg de papel sujo que não pode ser reciclado.
  2. Troque a areia ou sílica da caixa do gato por um banheiro inteligente Weasy Gato, e economize 50kg de lixo ao ano, por gato. 
  3. No caso dos cães, substitua o saco de plástico que usa para recolher os cocôs no passeio por saquinhos de papel ou um saquinho biodegradável de verdade – criamos o Sacocô Passeio  (e também o Sacocô Casa) para você ficar de consciência limpa. Pense, se for somente um cocô ao dia (e sabemos que muitas vezes são 2 ou 3), são 365 saquinhos plásticos ao ano, que ficarão para sempre no meio ambiente e não podem ser reciclados por conta das fezes.
  4. Compre de forma consciente: evite comprar por impulso brinquedos e coisas que rapidamente virarão lixo.
  5. Procure fazer lanches caseiros para o pet. Frutas não ácidas, folhas crocantes, tubérculos cozidos, cenouras são alimentos simples que costumam curtir. Petiscos de frango, ou pastinhas de carne, arroz e legumes caseiros também podem ser sucesso, e economizar muito plástico de sachets que são prejudiciais à saúde do cão e ao meio ambiente. 
  6. Considere a alimentação natural, ou se comprar ração prefira pacotes grandes que não usem sacos menores dentro – assim usa menos plástico. Escolha marcas que você respeita, que se preocupam com a matéria prima e a qualidade.  
Descarte ou reuso:
  1. Descarte as fezes na privada, para que vão ao tratamento de esgoto, e nunca no lixo.
  2. Use produtos biodegradáveis ou naturais para higienizar o banheiro ou a área do xixi. Sabão de coco para limpar, álcool e vinagre para desinfetar, e água para enxaguar por exemplo.
  3. Lave bem embalagens de sachets, comidas pastosas etc antes de descartar no lixo reciclável
  4. Considere roupas suas que não quer mais como algo para os pets. Conserte, retoque a cor se precisar, e reinvente. Cobertores grandes que rasgaram podem virar pequenos cobertores para os peludos. Meias grandes podem virar roupinhas de gatos ou cães de pequeno porte. Camisetas podem virar roupa de cachorros grandes. Assim por diante. Eles amam você e o seu cheirinho, se puderem se aconchegar nas suas coisas vão aproveitar a oportunidade.
Quer saber mais?